Cirurgia Para Corrigir o Grau!!!!!! - Clínica de Olhos São José
Araranguá/SC Caetano Lummertz, 456 Sala 109
Sombrio/SC Dr. Antônio Bottini, 69 Centro

Cirurgia Para Corrigir o Grau!!!!!!

Cirurgia Para Corrigir o Grau!!!!!!

 

Vícios de Refração

Do ponto de vista óptico, os vícios de refração são assim classificados:

 

Olho normal – quando os raiosluminosos que atravessam os meios transparentes do globo ocular são focalizados na retina

Olho com miopia – quando os raios luminosos que atravessam os meios transparentes do globo ocular são focalizados antes da retina

Olho com hipermetropia – quando os raios luminosos que atravessam os meios transparentes do globo ocular são focalizados após a retina

Olho com astigmatismo – quando os raios luminosos que atravessam os meios transparentes do globo ocular são focalizados em dois pontos diferentes, antes, depois e/ou sobre a retina

Olho com presbiopia – quando existe incapacidade de focalizar objetos a curta distância. A presbiopia pode surgir em combinação com a miopia, hipermetropia ou astigmatismo.

 

                                                                                                                                                                   

Técnicas de cirurgia refrativa

LASIK – o LASIK é uma técnica que combina a microcirurgia e um procedimento com Excimer laser para corrigir a miopia, hipermetropia e o astigmatismo. No LASIK utiliza-se um instrumento altamente especializado, o microcerátomo, para produzir um retalho delgado na córnea. Este retalho é dobrado para trás e, então, o Excimer laser é aplicado na córnea, embaixo do retalho. Depois, repõe-se o retalho, aguarda-se a cicatrização espontânea na sua posição. Importante: não é usado nenhum ponto de sutura nesse procedimento.

 

PRK Fotoceratectomia refrativa – procedimento cirúrgico no qual o cirurgião utiliza excimer laser para remover camadas microfinas de tecido da córnea. O tecido é removido de maneira controlada, em um padrão programado pelo cirurgião no computador.

Implante de lente intraocular – em casos de pacientes com vícios de refração em graus elevados, o médico oftalmologista poderá optar pela substituição do cristalino normal por uma lente com o grau adequado para a correção da deficiência visual ou pela colocação do implante sem a retirada do cristalino. Esta técnica é realizada com anestesia local, alta imediata e a recuperação visual é rápida.

Exames pré e pós-operátorios

Os exames pré e pós-cirúrgicos para indicar, contra- ou fornecer dados para o acompanhamento do paciente durante a cirurgia para correção dos vícios de refração são:

 

1 – Exame oftalmológico completo

2 – Exames subsidiários: recomendado de acordo com as características pessoais do paciente e da técnica a ser utilizada:

 

• Microscopia especular: avalia o estado de saúde do endotélio, a parte interna da córnea

  • Teste de sensibilidade ao contraste: avalia a qualidade da visão do paciente, simulando situações do dia-a-dia

• Paquimetria: determina a espessura da córnea

• Biometria: exame computadorizado para que o médico calcule a distancia entre a parte mais externa e a mais interna do olho

• Mapeamento da retina: avalia o fundo do olho

• Topografia corneana: avalia as alterações da superfície da córnea

 

Como comportar-se durante a cirurgia de LASIK

O paciente deve colaborar com o médico durante a cirurgia de correção de seu distúrbio ocular, contribuindo para sua rápida recuperação e para o sucesso dos resultados.

Para isso, é importante saber que:

 

  • O paciente deve colaborar com o médico
  • Não deve cruzar as pernas e não deve colocar as mãos nos olhos
  • O colírio anestésico será instilado em ambos os olhos
  • O olho não operado será ocluído
  • O paciente deve sempre manter os dois olhos aberto durante todo o procedimento cirúrgico
  • O paciente deve fixar-se no ponto vermelho que ficará sempre piscando; deve procurar não piscar ou movimentar os olhos e a cabeça durante a cirurgia
  • Após a aplicação do laser, serão instilados colírio e colocada uma lente de contato para proteger o olho operado, que permanecerá no olho conforme orientação do oftalmologista

 

Cuidados necessários no pós-operatório

No pós-operatório, respeitando as características individuais de cada paciente, são recomendados, sempre sob prescrição do médico oftalmologista: colírios (antibióticos com antiinflamatórios,antiinflamatório hormonal, antiinflamatório não-hormonal, hipotensor ocular e lubrificante ocular), analgésicos, óculos de sol e repouso médico.

Deve-se evitar por 4 semanas: piscina, maquiagem ao redor do olho e esportes de contato, de acordo com orientação individual.

Como todo procedimento cirúrgico, existe a possibilidade de efeitos colaterais e/ou complicações, mesmo após exame detalhado e medidas preventivas realizadas pela equipe médica. Felizmente estes eventos ocorrem em porcentagem mínima. Entre as complicações mais comuns, podemos citar: visão flutuante, sensibilidade à luz, correção deficiente ou excessiva, surgimento de halos, desconforto temporário, necessidade de óculos, dor e infecção.

Deixe seu comentário